Tag: Papa Pio XII

Diocese de Petrópolis

Diocese de Petrópolis

Sobre a Diocese de Petrópolis

No dia 27 de Abril de 1892 o Papa Leão XIII criou a Diocese de Niterói, um ano após no dia 12 de Setembro de 1893 ele fez a nomeação do seu 1º Bispo que foi o D. Francisco do Rego Maia, ordenado em Roma no dia 26 de Novembro do mesmo ano, porém ele só tomou posse no dia 25 de Fevereiro do ano seguinte após sua procuração.

Assim que ele chegou ao Brasil em plena Revolta da Armada, foi residir em Nova Friburgo e logo após ele foi para Campos. No dia 16 de Julho de 1897 Leão XIII fez o desmembramento da Arquidiocese do Rio de Janeiro com a Paróquia de Petrópolis, fazendo sua transferência para a sede da Diocese em Niterói, logo D. Francisco do Rego Maia tomou posse da paróquia de Petrópolis no dia 12 de Setembro do ano subsequente. Após isso houve um bombardeio pela Esquadra sublevada em Niterói que fez com que o Governo do Estado do Rio de Janeiro fosse transferido para Petrópolis no ano de 1894. Em 1901 o D. Francisco do Rego Maia foi transferido para a Diocese de Belém do Pará, que cinco anos após, em 1906, ele fez sua renúncia para retornar à Roma e passar o resto de sua vida lá, até o dia em que faleceu no dia 4 de Fevereiro de 1928.

No dia 1º de Março de 1902 D. João Francisco Braga foi eleito o novo Bispo de Petrópolis, tomando posse no dia 26 de Outubro do mesmo ano. Logo após ele foi transferido para Curitiba no ano de 1907 e promovido a Arcebispo em 1926. Em 1935 ele fez sua renúncia para que pudesse passar seus últimos dias em Petrópolis que era o seu lar e o local em que ele ainda guardava em seu coração com tanto amor, ficando lá até a data em que faleceu no dia 13 de Outubro de 1937, sepultado no cemitério local. Com a iniciativa de D. Manoel Pedro da Cunha Cintra, seus restos mortais jazem no deambulatório da Cátedra São Pedro de Alcântara juntamente com os de D. Francisco do Rego Maia que foram trazidos de Roma.

Em 25 de Fevereiro de 1908 o Papa São Pio X fez com que a sede da Diocese retornasse para Niterói e apenas depois que ele nomeou o sucessor de D. João Braga, sendo esta pessoa o D. Agostinho Francisco Benassi. Nessa primeira fase a Diocese de Petrópolis se tornou sede da Diocese de Niterói pelos próximos dez anos e sete meses.

Papa Pio XII criou a Diocese de Petrópolis

Papa Pio XII criou a Diocese de Petrópolis

No dia 13 de Abrilk de 1946 o Papa Piox XII criou a nova Diocese de Petrópolis pela Bula “Pastoralisquaurgemur”, todos os seguintes municípios eram parte do território da Diocese de Petrópolis: Petrópolis, Teresópolis, São José do Vale do Rio Preto, Magé, Guapimirim, Duque de Caxias, São João de Meriti, parte do município de Três Rios (Bemposta) e parte do município de Paraíba do Sul (Paróquia de Inconfidência).

A criação da Diocese de Nova Iguaçu foi no dia 26 de Março de 1960, pois a Diocese de Petrópolis lhe cedeu o município de São João de Meriti. No dia 11 de Outubro de 1980 a Diocese também também perdia o município de Duque de Caxias para se unir juntamente à de São João de Meriti a Diocese Homônima.

O primeiro Bispo de Petrópolis Dom Cintra

O primeiro Bispo de Petrópolis Dom Cintra

No dia 3 de Janeiro do ano de 1948 o 1º Bispo da nova Diocese de Petrópolis D. Manoel Pedro da Cunha Cintra, até então Reitor do Seminário Central da Imaculada Conceição do Ipiranga e Visitador Apostólico dos Seminários do Brasil. Ele recebeu sua Ordenação Episcopal em São Paulo no dia 28 de Março de 1948, que tomou posse em Petrópolis em 25 de Abril. Ele fez o governo desta diocese até o dia 29 de Fevereiro de 1984, quando ele fez sua renúncia que foi aceita pelo Santo Padre o Papa João Paulo II. Aos 92 anos de idade ele faleceu em Petrópolis no dia 30 de março de 1999.

Em 23 de Março de 1966 o D. José Fernandes Veloso foi nomeado como Bispo Auxiliar de Petrópolis e foi ordenado na Catedral a 22 de maio do mesmo ano. No dia 26 de Novembro de 1981 foi nomeado como Bispo Coadjutor juntamente com o direito de sucessão. Foi sucedido por D. Manoel ao ter sua renúncia aceita pelo Santo Padre. Ele Governou a Diocese até o dia 13 de Janeiro do ano de 1996 quando o 3º Bispo de Petrópolis tomou posse, o D. José Carlos de Lima Vaz, falecido em Petrópolis no dia 10 de Julho de 2006.

Durante 8 anos D. José Carlos de Lima Vaz, SJ, fez o governo da Diocese de Petrópolis até o dia 12 de Maio de 2004 quando o Papa João Paulo II aceitou sua renúncia, após isso ele ficou em Pouso Alegre (Minas Gerais) e ficou lá até falecer no dia 9 de Julho de 2008.

Na mesma data seu sucessor foi nomeado, o até então Bispo Auxiliar do Rio de Janeiro, D. Filippo Santoro, se tornando o 4º Bispo de Petrópolis no dia 11 de Julho do mesmo ano. Durante 7 anos ele manteve sua função até que foi nomeado como Arcebispo de Taranto, na Itália por Sua Santidade Bento XVI no dia 1 de Novembro de 2011.

A partir do dia 5 de Janeiro de 2012 a Diocese ficou vacante no momento em que D. Filippo deixou a Diocese, quando ainda era Administrador Apostólico de Petrópolis. A mesma foi conduzida por Mons. Paulo Daher, que foi eleito o Administrador Diocesano de Petrópolis até que um novo bispo tomasse posse.

No dia 10 de Outubro de 2012, Sua Santidade, o Papa Bento XVI fez a nomeação de Dom Gregório Paixão, que até então era o Bispo Auxiliar de São Salvador, na Bahia, que se tornou o quinto bispo diocesano de Petrópolis no dia 16 de Dezembro de 2012.

Fotos da Diocese de Petrópolis

Agenda da Diocese de Petrópolis

Calendário

Padroeiros da Diocese de Petrópolis

O padroeiro da Diocese de Petrópolis é São Pedro de Alcântara, além de também ser o padroeiro do Brasil.

No mês de Outubro o calendário é marcado pela celebração em memória de inúmeros santos, alguns muito populares no Brasil como a Santa Teresinha do Menino Jesus (no dia 1), São Lucas (no dia 18) e do Apóstolo São Judas Tadeu (no dia 28). Além desses dias também existe a festa da padroeira do Brasil no dia 12, a festa da Nossa Senhora Aparecida. Mas nem sempre nós católicos nos lembramos de que esse mês também é o mês de comemorar a festa do Padroeiro do Brasil. Exatamente ele, o Padroeiro do Brasil que é reconhecido pela Santa Igreja antes mesmo da Nossa Senhora Aparecida, por mais que ele seja pouco lembrado nas devoções mais populares, o São Pedro de Alcântara é o padroeiro da Paróquia da Catedral, da Cidade de Petrópolis e também da Diocese de Petrópolis. Não está lembrado quem é São Pedro de Alcântara? Iremos te lembrar agora.

No ano de 1499 na cidade de Alcântara, na Espanha, segundo seus biógrafos nasceu em um berço cristão e com um grande fervor à oração. Enquanto ainda era adolescente, ele foi estudar na Universidade de Salamanca graças à sua família, foi então que descobriu sua vocação para a vida religiosa e fez seu ingresso na Ordem dos Franciscanos, pois seus desejo era ter uma vida religiosa profunda e com desapego de bens materiais, apenas fazendo o cultivo do ascetismo e de sua vida espiritual, tendo severos exercícios de mortificações e penitências.

Ele também desempenhou encargos muito importantes na vida religiosa, tendo fundado um novo ramo de franciscanos, os quais foram chamados de “estrita observância” devido à ênfase que davam à oração e à meditação. Além disso ele foi um exímio pregador notável e fecundo, por isso foi escolhido como confessor do Rei Dom João III, de Portugal. São Pedro de Alcântara teve um papel decisivo no apoio às reformas da Ordem das Carmelitas que foram implementadas por Santa Teresa D´Ávila, de quem ele foi diretor espiritual. Assim que ele conseguiu confirmar suas virtudes e sua missão de reformador, justamente naqueles tempos em que a Igreja vivia tantas provações, Deus realizou numerosos milagres e prodígios através da intercessão de São Pedro de Alcântara e muitas vezes com apenas sua presença os milagres já eram feitos. Sua fama de santidade e seu carisma místico acabaram se espalharam por toda a Europa, principalmente em Portugal, onde ele se tornou um santo de devoção da Família Real, isso também acabou resultando na escolha do nome de batismo de nossos dois Imperadores: “Pedro de Alcântara”. Toda essa devoção fez com que Dom Pedro I a pedisse ao Papa que proclamasse São Pedro de Alcântara como um padroeiro oficial do Brasil, pedido este que foi realizado no ano de 1826, pelo Papa Leão XII.

Toda essa devoção fez com que Dom Pedro II o escolhesse como patrono da cidade de Petrópolis. Então não se esqueçam de recorrer à abençoada intercessão de nosso patrono, pedindo que ele nos ajude a viver mais intensamente e com mais fervor nossa vida espiritual, em busca dos verdadeiros valores que são essenciais e autênticos da nossa fé cristã.

Link para redes sociais da Diocese de Petrópolis

Facebook da Diocese de Petrópolis: https://www.facebook.com/diocese.petropolis/

Vídeos

Secretaria

Coordenador Diocesano de Pastoral

Pe. Ernande Nascimento

Residência: Avenida Padre Anchieta, 256, Centro

25900-000 – Magé , RJ

Tel.: (21) 2633-1388 (Paróquia)

Documento de Aparecida

  1. g) A diversificação da organização eclesial, com a criação de muitas comunidades, novas jurisdições e organismos pastorais, permitiu que muitas Igrejas locais avançassem na estruturação de uma Pastoral Orgânica, para servir melhor às necessidades dos fiéis. (DCA-99,G)

169 – A Diocese, presidida pelo Bispo, é o primeiro espaço da comunhão e da missão. Ele deve estimular e conduzir uma ação pastoral orgânica renovada e vigorosa, de maneira que a variedade de carismas, ministérios, serviços e organizações se orientem no mesmo projeto missionário para comunicar vida no próprio território. Esse projeto, que surge de um caminho de variada participação, torna possível a pastoral orgânica, capaz de dar resposta aos novos desafios. Porque um projeto só é eficiente se cada comunidade cristã, cada paróquia, cada comunidade educativa, cada comunidade de vida consagrada, cada associação ou movimento e cada pequena comunidade se inserem ativamente na pastoral orgânica de cada diocese. Cada uma é chamada a evangelizar de modo harmônico e integrado no projeto pastoral da Diocese.

Sobre o Bispo

Dom Filippo Santoro

4º Bispo de Petrópolis

Lema: “Verbum Caro Factum” (E o v erbo se fez carne)

  • Nasceu em Bari (Carbonara), Itália, a 12 de julho de 1948
  • Ordenado Sacerdote em Bari a 20 de maio de 1972
  • Nomeado Bispo Titular da Tuscânia e Auxiliar de São Sebastião do Rio de Janeiro a 10 de abril de 1996
  • Ordenação Episcola a 29 de junho de 1996
  • Nomeado Bispo de Petrópolis a 12 de maio de 2004
  • Tomou posse em 11 de julho de 2004
  • Nomeado Arcebispo de Taranto, Italia a 21 de novembro de 2011
  • Tomou posse em Taranto a 5 de janeiro de 2012

Localização

Rua São Pedro de Alcântara – Petrópolis, RJ – CEP: Telefone: (24) 2231-5212 / e-mail: ascom@diocesepetropolis.org.br

Fizemos um especial sobre a Diocese de colatina.